terça-feira, 18 de setembro de 2007

Quadro social

Um círculo à tua volta.
Estás no meio do círculo.
Tu achas o circulo feio,
Com imperfeições no seu redondo.

E queres sair,
Queres fugir,
Mas o círculo está te impedindo.
Achas que está te limitando.

Tu andas, corres, tomas o impulso e saltas,
Porém o círculo insiste, persiste em estar lá.

_ Que quer ao meu redor? – indagas.
_ Que causa tem de me prender? – perguntas.
Mas, silencioso e vicioso, ainda está lá.

O círculo gira.
E tu, com ele giras.

Esse círculo feio, feito de pessoas quadradas,
Sugere a ti uma prisão psíquica.

Mas o que há de errado com o círculo?
Ele apenas gira a sua circunferência.
O que há de errado com o círculo?
Será o centro?


Às vezes releio meus textos e sempre encontro algo que havia perdido. É estranho o que ocorre. dois pontos. ver que ainda há identificação entre o escrito e o escritor, mesmo depois de algum tempo.

2 comentários:

Sinayoma disse...

Incrível!Muito bonito o texto!

Comigo acontece isso também, querido! Tava até comentando com uma amiga que eu precisava reler meus poemas antigos.

Farei isso no final de semana. Pra dar uma variada na cara do blogue!=)

beijos

Xuxão Lennon disse...

O engraçado de reler coisas antigas é mesmo saber que ainda tá atualizado...

Principalmente quando falamos sobre conformismo, comodidade, desigualdade... é só um desabafo...

Ideal seria se não fosse só a intenção...

xx~