segunda-feira, 24 de setembro de 2007

o que, falta?

andar com alguns passos a menos em direção a escada. não sobe nem desce. regressa, e equânime a vida tenta flutuar. às vezes eu disparo um riso tonto. às vezes, escrevo sonhos que deveriam ser estigmatizados e não distingo as diferentes cores dos retalhos que me cobrem durante auqele sono. às vezes, mal reparo os remendos que costurei a (entre)linhas. ou finjo não notá-los só pra sentir novamente a sensação do rasgo.
há quem diga que para toda ação há um reação. por ex.: para toda subida uma descida. assim sendo, é igualmente lógico supor o retorno de tudo o que vai. ou de tudo o que foi.
se for o que foi , escolhemos entre a ultrapassagem fácil ou então a forçamos díficil, isto é, supomos nunca havê-la passado. se for o que vai aí não há previsão. a Física não explicaria algo assim. a metafísica talvez. como entender?
Não tente entender isso aqui.
Entenda apenas que às vezes eu me deixo isca.

3 comentários:

Ricardo F. disse...

Nietzche Explica, eterno retorno.

O tempo é um círculo constante, tudo volta, se refaz, se reinventa. O interessante é que nós não somos os mesmos há quatro ans atrás. Nossas células se refazem, dentro de uma lógica central, porém a memória conserva, de maneira ineficaz e relativa, é claro, de acordo com o contexto que vivemos, uma reação química bem equacionada, nascer, transformar, morrer...

Fernando Penteado disse...

Ix, você acaba de receber um convite para participar do Blog Coletivo Mário de Andrade.

Não conhecia teu blogue, cara!

Gostei bastante.. Entrou nos linques do meu.

Passe lá depois,

Um Abraço,

Fernando

xuxão lennon disse...

é...

não entendi...

=P