domingo, 16 de março de 2008

Redor azul - intro black

Porque um dia ele sentou na pedra e chamou por uma sombra.
tépida, cinza, a sombra não vinha. consigo, o homem fingia um refúgio. fechou os olhos anti-uv e divagou uma possibilidade remota de erro. mal compreendia a crueldade travestida que regia o mundo e o indubitável fato de que aquele mundo não o pertencia. o homem, sentado na pedra, questionou o amor - o próprio e o próximo - questionou a sombra, a pedra, o sol - que pela primeira vez o incomodava.
o homem, num movimento de rotação, procurou nos seus pares a resposta. procurou na mulher do dia anterior. linda. e incompreensível como todo bípede. nada.
decerto, o homem sabia que havia erros. clamou a sombra mais uma vez. nada.
o sol continuara lá. a pedra continuara lá .o céu continuara azul. ele continuara no refúgio anti-uv. e fechados, continuaram os olhos.
decerto, o homem sabia que havia erros.
e não soube associá-los à causa certa.

Um comentário:

xuxão lennon disse...

"... o segredo do Universo se resume em tentar se conhecer"

(Y)